Amado por Ti

Postado por em jul 22, 2015 em Blog | Sem Comentários

Amado por Ti

Olá pessoal!

Tudo na boa?

Sabe quando tem algo que tem mudado sua maneira de enxergar o mundo ao seu redor, que faz você voltar a ter aquela paixão por Cristo? Pois é, assim mesmo que tenho me sentido, não simplesmente esperando Deus fazer algo super grandioso em minha vida, mas O buscando, enxergando as tais coisas “pequenas” que Ele faz diariamente pra mim.

Nos últimos posts tenho falado de um tempo que estava me angustiando, mas que ao mesmo tempo sentia Deus me sustentando, erguendo, me mostrando quem eu realmente era!

Pra isso foi preciso enfrentar grandes máscaras que construí ao longo da minha vida, voltar a ser fraco, pra que Deus fosse grande! Precisei ter a consciência de que não sou nada longe de Deus, mas que por meio da sua Graça, e só por meio dela, me tornei uma nova criatura, me tornei um filho!

Tá, mas afinal, o que eu sou? Então a resposta é “Você é Amado”. Mas como assim Ariel? Tu só pode ta tirando com a minha cara!

Acredite, não estou!

Deus nos criou para vivermos em união com Ele. Esse é o propósito original da vida. Viver com a consciência de ser tão amado é o eixo em torno do qual a vida cristã orbita. Não é simplesmente arrogância, ou uma ideia inspiradora, mas é o nome pelo qual Deus nos chama, é o modo em que Ele se relaciona conosco.

“E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.” – 1 João 4:16 (NVI)

Esse é o desfio que deixo então: Defina-se radicalmente como alguém amado por Deus!

Sobre Ariel Zimermann

Uma criança crescida, que acha motivo pra rir, até quando é pra chorar. Conheci a Cristo com meus 15 anos, sou Gaúcho, Estudante de Engenharia Elétrica, que encontra na música uma forma de mostrar a grandeza de um Deus infinito. Aquele que senta na rua e fica olhando as estrelas por horas, conversando com Deus, tomando café no meio da rua. Sou direto, até demais, pois sinto que as pessoas devem ouvir o que elas precisam ouvir, e não o que elas querem ouvir.