Vamos seguir

Postado por em fev 3, 2016 em Blog | 2 Comentários

Vamos seguir

Olá pessoas, tudo na boa?

Estava conversando com alguns amigos nesses últimos dias até que chegamos ao assunto dos posts e sobre o Pelo Amor De Deus, e pensei em fazer um esquema como fiz em alguns posts no passado, mas dessa vez iniciando uma série de posts usando como base músicas “seculares” e suas perspectivas junto com uma visão segundo o Cristianismo!

Como fiz nas outras vezes, gostaria de frisar que não quero dizer aqui que essas músicas adoram a Deus, mas sim que podemos tirar delas princípios contidos no Cristianismo!

Vamos lá, Let’s Go Peoples… Ou melhor, Vamos Seguir!

Nas últimas semanas em que escrevi, compartilhei a respeito de um momento que tenho passado, onde tive que abandonar alguns planos e sonhos, e como, por meio disso, Deus tem me sustentado e mantido perto dEle. Com tudo isso que tem acontecido na minha vida, vejo que essa música se encaixa muito como uma espécie de um desabafo meu, um grito de alegria pra Deus!

E a música já começa assim:

Fiquei um tempo sem querer falar da vida
Tipo uma fuga, uma fuga mal resolvida
Mas nada se resolveu
Até não assumir
Saber o que quer, e o que veio fazer aqui
Não quis me afastar
Mas essa distância me fez querer voltar
Voltar a ser criança
Talvez você nem saiba
Mas o que fez comigo
Me ajudou a ser melhor, só eu hoje eu vejo isso

Nos últimos tempos, eu estava fugindo de Deus, fugindo de um tempo profundo com Ele, fugindo de ouvir, fugindo de entregar minhas vontades pra Ele, foi então que não tinha mais jeito, eu tinha de encará-lo, não dava mais pra correr! Não que eu tenha abandonado minha fé, mas hoje percebo a semelhança desse tempo da minha vida com a parábola do Filho Pródigo.

A distância me fez querer voltar, eu não queria me afastar, mas ao mesmo tempo não queria dar o braço a torcer, não queria falar da vida, queria ficar na mediocridade da superficialidade. Mas Deus não é superficial, bem pelo contrário, Ele nos conhece de cima a baixo, sabe quantos fios de cabelo nós temos, é óbvio que Ele deseja ver quem nós somos para Ele nos moldar conforme a sua vontade.

Mas e aí, até quando ficaremos nessa fuga mal resolvida? Eu parei de fugir, e hoje eu vejo que isso me ajudou a ser melhor.

Foi bom poder sentir saudade
Foi bom voltar a ter vontade
Foi bom pra ver se era de verdade
Desaprender pra voltar a ser como antes

Desaprender pra voltar a nossa essência com Cristo, vejo o como acabei me distanciando do modelo de Cristo, comecei a me basear eu meu próprio entendimento sem lembrar de quem Ele dizia pra eu de fato ser.

“Havia um fariseu chamado Nicodemos, uma autoridade entre os judeus.
Ele veio a Jesus, à noite, e disse: “Mestre, sabemos que ensinas da parte de Deus, pois ninguém pode realizar os sinais miraculosos que estás fazendo, se Deus não estiver com ele”.
Em resposta, Jesus declarou: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo”.
Perguntou Nicodemos: “Como alguém pode nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e renascer! ”
Respondeu Jesus: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito.
O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito.
Não se surpreenda pelo fato de eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo.
O vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito”. – João 3: 1-8 (NVI)

Quando nascemos de novo, tudo deve ser novo, nada permanece igual, o problema é que dói abandonar tudo né? Ainda mais quando vivemos pelo impulso do nosso coração e não estamos dispostos a nos render a grandeza e a majestade de Deus. Devemos ser como o vento citado no versículo 8, se Deus mandou, então vai, se Ele não mandou, nem cogita de sair do lugar!

A página virou, o assunto já é outro
Vamos tirar onda de tudo que rolou
Como se nada tivesse acontecido
Andar e viver, próximo capítulo

Se você está, ou estava como eu, pare de fugir, se arrependa e comece um novo capítulo, uma nova página, um dia a gente ainda tira onda de tudo isso. As coisas parecem estranhas quando a gente entrega pra Deus né, é porque não está mais nas nossas mãos, não somos mais nós que comandamos o barco, só temos que entregar, andar e deixar Ele viver em nós.

Lá atrás não entendia as coisas
Cada um tem seu tempo, suas escolhas

Como isso é verdadeiro, como essa frase é pura, eu não entendia o que Deus queria, afinal como eu entenderia se estava fugindo? Eram duras as coisas que Ele estava dizendo pra fazer, eram difíceis as decisões que Ele queria que eu tomasse, Ele me deu o tempo pra essas escolhas, eu não entendia bem ao certo, mas fiz e posso dizer que através disso, estou abrindo os olhos pra o que Ele tem pra me mostrar!

Por fim:

Então vamos viver, porque tá tudo bem
Assunto resolvido, isso é passado, amém
Vamos seguir em frente
Vamos seguir, seguir, seguir, seguir

“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante,
prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” – Filipenses 3:13-14 (NVI)

Como disse semana passada, ninguém disse que seria mole, que seria fácil, a gente vai por perrengues que não saberemos o que fazer, mas nós devemos saber pra onde correr, pra quem vamos recorrer, só assim nós vamos seguir em frente, vamos seguir!

Abraço de urso!

Sobre Ariel Zimermann

Uma criança crescida, que acha motivo pra rir, até quando é pra chorar. Conheci a Cristo com meus 15 anos, sou Gaúcho, Estudante de Engenharia Elétrica, que encontra na música uma forma de mostrar a grandeza de um Deus infinito. Aquele que senta na rua e fica olhando as estrelas por horas, conversando com Deus, tomando café no meio da rua. Sou direto, até demais, pois sinto que as pessoas devem ouvir o que elas precisam ouvir, e não o que elas querem ouvir.