Usos e costumes: o Cristão pode ouvir música secular?

Postado por em mar 12, 2015 em Blog | 14 Comentários

Usos e costumes: o Cristão pode ouvir música secular?

Olá! Novamente um assunto polêmico. Pouco se tem falado disso nos últimos dias. Lembro-me de quando eu me converti e a Internet estava apenas nascendo (hoje eu diria que ela está ainda engatinhando). Naquele tempo, eu buscava muito sobre isso. Sei que, na igreja onde me converti, ouvir música secular (ou, “do mundo”; para quem não sabe, que não é Cristã) era abominável. Eu até ouvia vez que outra, mas me sentia imensamente culpado por aquilo. Fazia escondido. Quando estava com os irmãos da igreja, evitava colocar um som “não-gospel” no carro ou secular. Eram tempos difíceis, confesso. É claro que eu estava errado. Uma máscara, um pecado. Dá na mesma.

Para entender as premissas de como eu entendo os usos e costumes, leia ao menos os primeiros parágrafos deste texto. Lá, eu explico por que nossas atitudes podem ser boas ou ruins, e isso também depende da situação. Não vou repetir essa introdução, portanto leia antes de continuar.

A música é parte da minha vida há muitos anos. Tornei-me músico na igreja desde muito cedo, aos 15 anos. Sempre tive uma ligação íntima com os acordes e melodias. Por essa razão, sempre foi difícil dizer não a qualquer tipo de música que me agradasse. Como falei antes, tinha de evitar ouvir determinadas canções por conta da máscara que usava na igreja. Eu queria, mas não podia.

Assim como em várias áreas da minha vida, certo dia meus olhos foram abertos. Entendi que havia algo além de uma simples proibição, uma regra, uma lei. Por que ouvir música secular é errado, afinal?

Diante dessa pergunta, criei algumas respostas. Essas, eu compartilho aqui, com vocês. Vem comigo.

A música está presente em toda a Palavra de Deus. Talvez mais no Antigo do que no Novo Testamento. Sem estatísticas ou números, acredito que a disparidade seja efetivamente grande, já que temos alguns livros poéticos lá na velha aliança. No NT, há algumas referências ao louvor, a cânticos e salmos.

Precisamos entender alguns conceitos, no entanto. Há uma confusão no que se refere aos termos e à finalidade deles. É importante deixar clara a diferença entre músicalouvor e adoração, primeiramente. Música é uma manifestação artística. É uma expressão, através do canto, de sentimentos, emoções, pensamentos ou apenas fatos. Na história ocidental, a música tem sido amplamente usada para expressar ideias e descontentamentos. Rebeldia e luta. Os anos da ditadura, na década de 60, são um exemplo clássico do uso musical para expressão de indignação e rebeldia. O louvor, por outro lado, é uma manifestação espiritual de adoração a Deus. É difícil definir, pra ser sincero. Louvar é algo muito próximo de elogiar. Quando se refere a Deus, o louvor é uma reverência, adoração. Veja o que o salmista diz:

Cantem de alegria ao Senhor, vocês que são justos; aos que são retos fica bem louvá-lo. Louvem o Senhor com harpa; ofereçam-lhe música com lira de dez cordas. Cantem-lhe uma nova canção; toquem com habilidade ao aclamá-lo. – Salmos 33:1-3 (NVI)

O salmista utiliza o exemplo de louvar ao Senhor com harpa. Ora, é possível então utilizar um instrumento musical para louvar. Dentre inúmeras outras passagens, concluímos que cantar e tocar também é louvar. Música, portanto, pode ser louvor. Não podemos concluir, porém, que todo louvor é música nem que toda música é louvor. Além disso, a adoração também se confunde com o louvor e com a música. Isso é tão verdade que, atualmente, as bandas nas igrejas são comumente denominadas ministério de louvor ou ministério de adoração.

Vejamos o que Jesus nos ensina sobre a adoração:

Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”. – João 4:24 (NVI)

Não vou entrar nos detalhes etimológicos nem teológicos, mas há uma diferença entre louvor e adoração. Adorar é algo mais profundo, de reverência e respeito. O louvor é uma atitude de elogio, exaltação. Quando Cristo falou sobre adorar em espírito e em verdade, ele quis dizer exatamente o que disse: em espírito e com sinceridade.

Voltando ao tema. Se queremos louvar a Deus com a música, podemos fazê-lo. Se quisermos louvar através das nossas atitudes, também podemos fazê-lo. Hoje em dia, há muitas “canções de louvor” que não louvam a Deus de forma alguma, mas simplesmente exaltam e buscam os interesses humanos. Os shows gospel também são uma demonstração de que nem sempre uma letra que fala de Deus é suficiente para louvar a Ele.

Não vejo razões bíblicas para evidenciar que ouvir música secular seja pecado. Pelos motivos que citei, é possível louvar sem música e o contrário também é verdadeiro. Ou seja, a música é uma manifestação artística assim como qualquer outra. No entanto, para não deixar as coisas assim tão fáceis, tenho meus problemas com isso. Eu vejo que o Cristão pode agir sem limites. Por crer que tudo é lícito, passamos a ouvir qualquer tipo de música sem pensar nos efeitos que isso pode provocar. Determinadas músicas são pecaminosas e devem sim ser evitadas.

Embora a Bíblia não seja explícita no tema, assim como em outros inúmeros casos, devemos agir com equilíbrio para não desagradar a Deus. Vejo Cristãos frequentando todo e qualquer tipo de evento/show não-Cristão – veja bem, há eventos gospel que também são inadequados! – sem pensar nas consequências daquilo. Se ouvir música secular não é pecado, então ir a shows também não deve ser!

A minha opinião pessoal é de que há tipos de música que podem ser ouvidas e outros não. A letra, o ritmo e a história influenciam. O rock tem um poder enorme em alterar nosso comportamento. O funk brasileiro e o samba têm batidas muito próximas às de religiões africanas. A música clássica, por outro lado, acalma e tem poder de alterar o humor também. A música em si é poderosa e deve ser respeitada.

Não há uma resposta definitiva a essa pergunta. Alguns ouvem, outros não. O importante é você selecionar e fazer aquilo para a glória de Deus. Um texto meu anterior talvez esclareça melhor ainda essa questão. Sugiro a leitura: Música?

 

  • O podcast OsCabracast tem um episódio lançado a pouco tempo que fala um pouco sobre isso, acho que vale ouvir http://oscabracast.com.br/19-redimindo-a-musica-crista

    Por outro lado, me pergunto se a música gospel ainda vale a pena, o AG tem um episódio falando disso http://achandograca.com.br/09-musica-crista-ainda-vale-a-pena …já que o que toca na rádio são músicas de um mercado tão ou mais podre do que o secular, ou da “música do mundo”

    Abraço.

    • Leo Cechet

      Valeu, Franklin, pelo comentário!

      De fato, o tema é extenso demais. A música cristã atual carece de sinceridade em alguns casos. Bom assunto.

      Abraço!

  • Marcelo Silva Augusto

    Boa tarde a todos, gostei do texto, ouço e canto canções “seculares”, observo letras, mas quando vou louvar ao Senhor, procuro cânticos espirituais, muito bem colado pelo o autor do texto diferenciando música de louvor e etc, não me vanglorio por isso, ou não acho que sei mais que os outros irmãos em Cristo, o que precisamos entender que a minhas ações não é via de regra para todos os crentes e irmãos e sim um exercício que tenho com o Senhor e músico é um profissional que também tem compromissos familiares, as contas vencem como as de todo mundo e etc. Todos carecemos da misericórdia do Senhor e a salvação é “INTEIRAMENTE” pela graça e não por esforço e mérito nosso, um abraço aos irmãos, Deus pela Sua graça continue nos guardando.

    • Leo Cechet

      Oi Marcelo! Primeiramente obrigado pelo comentário. Eu estive um tempo ausente e acabei não vendo seu comentário, peço desculpas pela demora! Atualmente, entendo dessa forma. Pode ser que daqui a uns anos, o próprio Deus fale algo diferente para mim. No entanto, gosto muito de frisar que eu acho que é necessário termos equilíbrio nisso e, quanto mais longe ficarmos do que é “mundano” por assim dizer, melhor. Embora não haja um pecado explícito no ato de ouvir música secular, muitas delas nos influenciam de diversas formas. Porém, pior ainda é saber que a atual “música gospel” é pior que muita coisa “mundana”, cara! Isso me deixa estarrecido, pois realmente temos poucas opções de louvores reais e sinceros, que não sejam fruto de um mercado gospel.

  • Laísa

    Excelente post!
    Falou tudo mesmo, muito bem colocado a questão sobre música, louvor e adoração.

    • Leo Cechet

      Obrigado pelo comentário!

  • Glenda

    Não compreendo como cristãos podem defender escutar músicas seculares. Não existe meio termo, ou aquela música é pra glória do Senhor ou nao é (e se não é pra glória de Deus, pertence ao mundo e ao rei deste mundo, o Diabo). Quando nos convertemos morremos para nós mesmos e nossos interesses. Se não somos capazes de parar de escutar músicas seculares (o mínimo) como seremos capazes de abandonar nosso “eu” e servir ao Senhor com tudo que somos e temos?