Uma mensagem estranha

Postado por em maio 25, 2015 em Blog | Sem Comentários

Uma mensagem estranha

“Meus irmãos, não se admirem se o mundo os odeia.” – 1 João 3.13 (NVI)

É assim que o apóstolo João conforta a igreja para qual escrevia a sua primeira carta. Não é então estranho que aparentemente o mundo ame algumas “coisas” da igreja contemporânea?

Tem aquele cantor que vai no programa de domingo na TV e pessoas que não conhecem  e nem querem conhecer a Deus gostam de ouvir. Tem também aquele pastor que escreve livros e que cristãos e não cristãos gostam tanto de ler. E por fim, aquela atriz que aparece tanto nas novelas, já posou nua, mas serve ao Senhor. Não sei, mas parece-me que tem alguma coisa errada que não está certa.

Jesus fez uma afirmação parecida com a de João alguns anos antes e citada pelo próprio apóstolo João em seu evangelho: “(…) Se me perseguiram, também perseguirão vocês (…)” – João 15.20 (NVI). Interessante, em nenhuma das oportunidades João acrescentou para a igreja: comecem a fazer eventos e convidem os vizinhos para um almoço no domingo e coloquem músicas legais para ele ouvirem. Ou promovam um bingo, um jantar de casais ou mesmo uma noite de filme e pipoca.

O apóstolo Paulo em sua carta para a igreja de Corinto afirma que a pregação da Cruz é loucura para o mundo perdido e que é poderosa apenas para nós que a compreendemos (“Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus.” – 1 Coríntios 1.18 (NVI)). O que acontece então, que a igreja é tão bem vista por uma sociedade caída e morta em seus pecados?

Tenho uma suspeita… e busco na Palavra argumentos para ela. Quando o profeta Jeremias profetizou contra a nação de Judá, ele falou dos “falsos pregadores”, homens que pregavam uma paz que não existia, e pregavam isso apenas para serem bem vistos por uma sociedade que a muito havia abandonado o Senhor. Homens que “curavam” a putrefata ferida espiritual do povo com band-aid e mertiolate, quando era necessário uma amputação e um transplante.

“Eles tratam da ferida do meu povo como se não fosse grave. ‘Paz, paz’, dizem, quando não há paz alguma.” – Jeremias 6.14 (NVI)

Acredito que é por isto que o mundo está aceitando tão facilmente “evangélicos” em programas que dividem o palco de pastores com dançarinas semi-nuas e livros “espirituais” na mesma prateleira dos de “auto-ajuda”. Tais homens que acreditam estar tendo uma oportunidade para pregar o Evangelho em lugares antes inimagináveis, chegam lá e apresentam ao mundo um band-aid com desenhos do Ben10 ou da Barbie, algo indolor e inútil para trazer homens mortos a vida.

Um evangelho falsificado e insosso não salvará ninguém, apenas os manterão em seu estado de morte espiritual… e quanto aos propagadores deste evangelho misturado com bebida impura, determina Deus por meio do profeta Jeremias:

“São chamados prata rejeitada, porque o Senhor os rejeitou.” – Jeremias 6.30 (NVI)

Sobre Daniel Clós Cesar

Casado e quase pai, sou formado em História e em Teologia, mas não me considero nem historiador nem teólogo, mas sou um leitor compulsivo de teologia, história e quadrinhos, também sou ilustrador nível super-hiper-básico (um chimpanzé cego tem mais habilidades).