Th1rteen R3asons Why To Live: Chapter 06

Postado por em maio 21, 2017 em Blog | Sem Comentários

Th1rteen R3asons Why To Live: Chapter 06

Olá Pessoas, como vocês estão?

Mais um dia juntos, meditando sobre a vida recebida, que por intermédio de Cristo foi entregue em nossas mãos, para que assim possamos render glória ao nosso Criador, o qual nos dá essa vida de bom grado, por seu amor, por sua graça, por seu poder e majestade.

Sabemos o quanto esse Deus é amoroso e gracioso, cheio de misericórdia, porém o que não podemos esquecer é que enquanto Ele é tudo isso, este mesmo Deus é totalmente justo, é o padrão de Justiça e a plenitude dela.

Como começamos abordar tal assunto ontem, sobre o escândalo da graça e tudo o que ela proporciona a nós, pessoas culpadas, somos lavados de nossos pecados por causa do sangue de Cristo, pra que enfim possamos viver de fato! O pecado gera morte, porém Cristo morreu em nosso lugar. Deus não convive com o pecado, e Ele mesmo se fez justiça, a qual é aplicada sobre Seus ombros. O inculpável tomou o fardo dos que, pela justiça, estavam fadados à uma morte eterna, longe da presença do Deus infinito.

O Advogado assume a pena aplicada pelo Juiz ao Réu!

O que nos constrange aqui é o fato de que através da morte temos vida, e vida abundante. Mas será que Cristo morreu em nosso lugar e só? Nós ficamos de braços cruzados e tudo acontece? Tá, de certa forma sim, pois nada poderíamos fazer pra que pudéssemos ser salvos da morte decorrente das nossas falhas, mas tem algo que de fato precisa ocorrer.

“Pois o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos morreram.
E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” – 2 Coríntios 5:14,15 (NVI)

Jesus deu o seu “TUDO”, logo o mínimo que podemos fazer é entregá-lo o nosso “TUDO”. Por mais que o tudo que nos foi dado é infinitamente maior do que o nosso, é o que devemos fazer. Se um dia o próprio Deus, se fez homem e veio a morrer por mim, não há nada que eu possa fazer a não ser morrer por Ele, pois nisso consiste em viver de verdade.

Paulo afirma que ele considera tudo como perda pra poder viver uma vida em Cristo, debaixo da sua soberania. Vai até além disso, compara tudo a “esterco”, pois nada se compara à vida em Jesus.

A pergunta que fica é: será que morremos de fato para nós mesmos? O tudo que afirmamos entregar, é tudo mesmo?

Não há vida sem morte, sem renúncia, sem entrega. Se você ainda não morreu para suas vontades, eu te convido a fazer isso, pois nada, exatamente nada se compara à vida que recebemos através da morte, pois ressuscitamos em Cristo, pelo seu poder e amor, para uma eternidade ao seu lado!

“Aquele que ama a sua vida, a perderá; ao passo que aquele que odeia a sua vida neste mundo, a conservará para a vida eterna.” – João 12:25 (NVI)

Abraço de Urso


Clique aqui e leia os outros posts da série 13 Reasons Why To Live.

Sobre Ariel Zimermann

Uma criança crescida, que acha motivo pra rir, até quando é pra chorar. Conheci a Cristo com meus 15 anos, sou Gaúcho, Estudante de Engenharia Elétrica, que encontra na música uma forma de mostrar a grandeza de um Deus infinito. Aquele que senta na rua e fica olhando as estrelas por horas, conversando com Deus, tomando café no meio da rua. Sou direto, até demais, pois sinto que as pessoas devem ouvir o que elas precisam ouvir, e não o que elas querem ouvir.