Primeiros princípios: a verdade

Postado por em jun 25, 2015 em Blog | 2 Comentários

Primeiros princípios: a Verdade

“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”. – João 8:32 (NVI)

A verdade existe. Ela deve ser absoluta, pois, se fosse relativa, a própria afirmação da sua existência seria relativa e, portanto, passível de falácia. Essa é apenas uma das confirmações lógicas de que a verdade é verdade, ponto final. É uma questão amplamente discutida no meio acadêmico e confunde mentes brilhantes. Em outras palavras: a verdade deve ser, em sua essência, absoluta e imutável; se a verdade é relativa e mutável, ela deixa de ser verdade, pois assume diversos conceitos, que não podem ser mutuamente verdadeiros. Parece confuso, mas siga meu raciocínio.

Se eu disser: a Terra é plana, essa verdade é relativa ou absoluta? Relativa, pois a Terra é redonda e pode ser vista como plana relativamente ao observador. Se eu olhar daqui de casa para o horizonte, posso concluir sem receios: a Terra é plana. No entanto, do ponto de vista correto, pode-se enxergar que a Terra é, de fato, redonda. Outra pessoa pode afirmar: a Terra é quadrada. É claro, do seu ponto de vista, o horizonte é plano. Do ponto de vista asiático, o horizonte também é plano. Conclui-se, portanto, que a terra é quadrada. Novamente, uma associação relativa. Qual a verdade entre essas três opções? Todas podem ser verdadeiras ou apenas uma o é? Enfaticamente, apenas uma verdade é absoluta. As outras nem são verdades, portanto não podem ser chamadas de verdades relativas, pois tal expressão perde seu sentido quando falada.

Um exemplo clássico da verdade absoluta x verdade relativa é o caso do elefante. Em suma, alguns cegos tocaram partes individuais de um elefante, declarando: “é um muro”, “é o tronco de uma árvore”, “é uma folha”, e assim por diante. Cada um tocara uma parte diferente do animal, chegando à conclusão de que eram objetos totalmente diferentes do original – o elefante. Todos estavam corretos? De certo modo, sim, pois é a forma como cada um imaginou aquele objeto. Por outro lado, estavam todos errados, pois o objeto em si era um animal, um elefante. Embora os pontos de vista da mesma situação fossem relativos ao observador, nem todos eram verdadeiros. Essa ideia de que há várias verdades para as mesmas questões é chamada pluralismo.  O pluralismo é basicamente a filosofia daqueles que dizem que “tudo é relativo”, “não há verdades”, “tudo é da lei”. Essa visão da realidade  – ou cosmovisão – é nociva.

Embora haja muito a explorar no assunto da verdade, cabe a nós, Cristãos, entendermos que ela é absoluta e existe: Deus é absoluto e existe. Se a verdade existe, podemos buscá-la. De igual forma, precisamos rejeitar os ensinamentos que são contraditórios à verdade. Nessa série Primeiros Princípios, iremos estudar com os devidos detalhes, algumas questões básicas da filosofia e da religião. Passamos rapidamente pelo que é a verdade, mas falaremos mais a respeito desses conceitos nos próximos textos. Iremos abordar algumas questões histórico-teológicas que são fundamentais para a nossa fé. Se você quiser aprender mais sobre quem Deus é e por que a verdade nos liberta, acompanhe os próximos textos. Deus abençoe!