Por que, justamente eu, tenho de ser a responsável? [2]

Postado por em jun 23, 2014 em Blog | Sem Comentários

Porque, justamente eu, tenho de ser a responsável 2-02

“Você costuma acordar pela manhã e sentir que o peso do mundo está sobre seus ombros, antes mesmo de sair da cama? É como se todos a olhassem esperando alguma ajuda, não é assim? Quantas bolas, placas, pessoas, compromissos e responsabilidades você consegue manter no ar ao mesmo tempo? A questão não é que lhe falta responsabilidade. É justamente o oposto. Você é hiperconsciente e conhecedora de suas muitas funções e deveres! É por isso que a vida, às vezes, parece um fardo tão pesado!”

Com certeza em algum momento da vida você se sentiu assim, super responsável por coisas que não queria ou não precisaria. Neste texto mostrarei como a preocupação com a responsabilidade nos afeta e nos afasta de Deus.

Quando o assunto é preocupação seguidamente usamos a história das irmãs Maria e Marta. Quero mostrar aqui os pontos negativos que a preocupação com as responsabilidades podem nos trazer.

“Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado, onde certa mulher chamada Marta o recebeu em sua casa. Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo a sua palavra. Marta, porém, estava ocupada com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: ‘Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!’ Respondeu o Senhor: ‘Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas; todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada’.” – Lucas 10:38-42 (NVI)

Podemos perceber alguns pontos negativos que Marta adquiriu por se preocupar tanto.

  • Marta se tornou obcecada: nem mesmo Jesus conseguiu impedir que Marta largasse suas tarefas;
  • Marta tornou-se rude: ela explodiu com Jesus, interrompendo-o e repreendendo-o (veja Lucas 10:40);
  • Marta tornou-se autoritária: tentou delegar ordens até mesmo a Jesus.

“Existe algum problema no trabalho, algum projeto em família, alguma responsabilidade no ministério ou desafio em casa, que esteja lhe causando frustração? E esse sentimento está tão sufocante que, como Marta, tem deixado você obcecada, autoritária e rude? Leve as suas preocupações a Jesus. Ele a entende. Substitua o nome de Marta pelo seu, e deixe que ele a chame pelo nome:”

‘______________,______________, você está preocupada e inquieta com muitas coisas!’

E depois coloque em prática o conselho de Jesus:

‘todavia apenas uma é necessária!’

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” – Mateus 11:28 (NVI)

Não importa qual é a área de seu problema, “alguém” é totalmente capaz de redirecionar o foco de sua atenção. Reveja suas prioridades e sua agenda. Seu foco deve estar em Deus, não no trabalho e nem nas obrigações. Viva um dia de cada vez.

“Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal.” – Mateus 6:34 (NVI)

A autora nos sugere alguns passos, que me fizeram realmente descansar em Deus, reajustar o meu foco nas coisas do alto e lembrar quão dependente dEle eu sou.

  • Parar o que estiver fazendo;
  • Sentar-se e descansar de corpo e coração;
  • Buscar, por meio da oração, a paz que só Deus pode nos dar e as prioridades dEle;
  • Começar novamente, direcionando os esforços à Deus.

“Tu guardarás em perfeita paz aquele cujo propósito está firme, porque em ti confia. Confiem para sempre no Senhor, pois o Senhor, somente o Senhor, é a Rocha eterna.” – Isaías 26:3-4 (NVI)

Lembre-se:

“Todo o amanhã tem duas alças. Nós podemos segurá-lo pela alça da ansiedade, ou pela alça da fé.” Henry Ward Beecher


Essa série de posts é um resumo do livro Preocupação, de Elizabeth George, publicado pela editora Hagnos. Cada post resume um capítulo e você pode adquirir o livro para conferir os assuntos com maiores detalhes clicando na referência abaixo.

Referência: GEORGE, Elizabeth. Preocupação – um hábito que pode ser quebrado [tradução Iara Vasconcellos]. São Paulo: Hagnos, 2011.

Sobre Paloma Pena

Teimosa, intensa, super protetora, eterna criança, aprendiz de engraçada.