Ouvir tem um preço

Postado por em jun 15, 2016 em Blog, Texto do Leitor | Sem Comentários

Ouvir tem um preço

Nos habituamos a falar demais, e acabamos perdendo a sensibilidade de ouvir. Na sociedade em que vivemos, muitas vozes têm falado, mas pouco ou raramente tem se prestado atenção a essa multidão de falas, seja porque muitas vezes já temos em si nossos pressupostos prontos, esperando a oportunidade para falar, se é que existe essa espera ou algum desejo de querermos ouvir algo que vá contra nossos princípios. Sempre há aquela carta na manga.

Nos acostumamos à ideia errada de nos acomodarmos em nosso cristianismo, sentados em um banco de Igreja ouvindo o pastor falar ou muitas vezes seguirmos uma cartilha de regras, de tal forma que ao cumprir certos princípios, tenhamos a liberdade de viver para nós mesmo, não que isso não seja importante, mas sim por vivermos sempre ocupados ou tão distraídos que perdemos a sensibilidade de se deleitar sobre a Palavra de Deus e ouvi-la de forma pessoal. Concordo com o que Ravi Zacharias (Do Coração de Deus, pg 47) diz:

“Escutar tem um preço, mas traz a maior das recompensas: a vontade de Deus. Amolecidos como estamos pelo bem-estar e pela ideia errada de que servir a Deus é fácil e estimulante, perguntamo-nos por que Ele está tão longe de nós quando, na realidade, pode ser que nós é que abandonamos sua proximidade. Nós acostumamo-nos tanto a ouvir pregadores, por importante que isso seja, que muitos dentre nós abandonaram o grande privilégio de ouvir pessoalmente a Palavra de Deus a cada dia.”

Parece-me que é mais fácil falar ou citar versículos nas redes sociais do que dedicar tempo em querer conhecê-lo mais a cada dia. Como A. W. Tozer diz: “Deus não se curvou à nossa pressa nervosa, nem adotou os métodos da nossa era mecânica. O homem que deseja conhecer a Deus precisa dedicar-lhe tempo.” Se queremos viver para nosso Senhor, tanto quanto levar as boas novas para aqueles que nos cercam, precisamos encontrar tempo para conhecê-lo, pois como poderemos falar de alguém com quem não nos relacionamos direito, sem saber quem Ele é. Seria muito estranho entrarmos em certos relacionamentos sem querermos saber quem o outro é, até porque não há relacionamento sem o desejo de caminhar junto, de se conhecer, de aprender um com outro e de amar um ao outro. Relações são construídas e levam tempo, além de dedicação de ambas as partes. Nossos ouvidos também precisam estar ao serviço do Senhor, como Samuel diz:

“Fala, Senhor pois, o teu servo está ouvindo.” – 1 Samuel 3:9b (NVI)

Com isso, não quero impor nada a ninguém, não é esse o objetivo, entendo perfeitamente o que é viver num tempo onde não se tenha mais tempo, mas também não podemos criar desculpas por causa disso. E pensar que nossos irmãos que não tem a liberdade que temos de se deleitar na Sagradas Escrituras a cada dia, devem ver isso como uma dádiva. Mas será que é necessário que percamos essa dádiva para entendermos seu valor? Esperamos que não.

Como o salmista diz:

“Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-me a Deus?” – Salmos 42:1-2 (NVI)

Que tenhamos esse anseio pela presença de Deus, e de podermos nos deleitar em sua Palavra a cada dia, de desfrutarmos dessa dádiva e crescermos a cada dia mais em sua graça. Que Deus nos guie no privilégio de podermos ouvi-lo a cada dia, e que nossos ouvidos estejam sensíveis à sua voz. Termino com a oração de Paulo na carta aos Efésios.

“Por essa razão, ajoelho-me diante do Pai, do qual recebe o nome de toda a família nos céus e na terra. Oro para que, com suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite em seus corações mediante a fé; e oro para que vocês arraigados e alicerçados em amor, possam juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus.” – Efésios 3.14-19 (NVI)

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e nos abençoe.


Esse texto foi enviado pelo nosso leitor Éder Corrêa.

Sobre Texto do Leitor

Esse texto foi enviado por um dos nossos leitores. Você também pode ter seu texto publicado aqui. Para isso, envie-o para o e-mail textodoleitor[at]peloamordedeus.org.br. Ficaremos felizes em analisar sua contribuição e conversar com você =D