O último espetáculo

Postado por em jan 12, 2016 em Blog | Sem Comentários

O último espetáculo

Era a minha última apresentação naquele palco. Do camarim, podia ouvir a plateia se direcionando até a saída, com o barulho das vozes diminuindo a cada instante.

– Você foi muito bem hoje, querida! Que aplausos foram aqueles? – exclamava um.

– Você criou algo incrível nessa noite! – dizia outro.

E meu coração estava verdadeiramente agradecido.
Já estava tarde, mas ainda assim esperei que todos fossem embora. Queria olhar todo aquele ambiente mais uma vez.

Ali da coxia, apenas a luz que iluminava a plateia estava acesa e me sentei na boca de cena, com o coração ao meu lado. Na mão.

– Acho que somos só nós agora.

– Finalmente.

– E então, como é estar na posição de criadora?

– Bom. Cansativo, mas dá um orgulho no fim. É assim que se sente?

– Como?

– Assim, cansado e orgulhoso ao mesmo tempo.

– Não, cansado não.

– E o que acontece quando as cortinas se fecham?

– Só sobra você, filha. Sobra a realidade. Sobra tudo!

– Ah não.

– Ah sim! Você cuidou com tanto carinho com cada uma das suas criações, mas você é uma das Minhas. Me deixe cuidar de você. Eu consigo!

Nos abraçamos por um momento, olhando todas aquelas cadeiras vazias e admirando o silêncio. Nada mais importava. Ali consegui enxergar a beleza de se entregar e me deixar ser amada. Era real.

– E quanto aos aplausos?

– O que tem eles?

– Eu gosto deles. Me sinto reconhecida, respondida, vista. Também é assim com Você?

– É. Quando Meu nome é adorado, sim. Mas o que vem antes não é melhor?

– Como assim?

– O que vem antes. O processo. Você só se alegra porque sabe o sacrifício que teve para que aquele momento valesse a pena.

– Então, quando vê a Criação…

– Eu vejo a Cruz.

– Eu também, Papai. Eu vejo a Cruz.

Saindo do palco, não olhei para trás naquela noite. Olhei para frente, para a Cruz. Eu não era mais a criadora. Eu era Criação e estava pronta para viver o amor mais louco do mundo.
O amor da Cruz!

Sobre Andressa Rosa

Se fosse definir uma menina cheia de sonhos, louca por Jesus e pelo poder que está no nome dEle... Se fosse definir a filha, a estudante de comunicação social, a atriz de alma e formação, que tem seu casamento planejado desde os 7 anos de idade... Se fosse definir o mundo dos "talvez" e das certezas, uma pequena biografia não seria o bastante. Então me chame de Dede. E vem conversar comigo!