O que há de errado comigo?

Postado por em abr 28, 2014 em Blog | Um Comentário

O que há de errado comigo?

O que tem tirado seu sono? Todos nós vez ou outra ficamos preocupados, seja com dinheiro, saúde ou com nossa carreira profissional. “Você sabe que a preocupação é algo danoso, inútil e que não resolve nada. Muito pelo contrário – ela destrói a sua saúde, seus relacionamentos e sua paz.” Essa frase é da escritora Elizabeth George e está no livro “Preocupação – um hábito que pode ser quebrado”, um livro voltado para mulheres mas com ensinamentos muito bons que podem ser aplicados a qualquer um. A escritora afirma que existem pelo menos doze áreas do nosso cotidiano que nós trazem ansiedade. Eu estive lendo esse livro e resolvi compartilha-lo com vocês. Farei um breve resumo de cada capítulo, com os pontos que mais me chamaram a atenção. O primeiro capítulo chama-se “O que há de errado comigo?” e fala sobre as preocupações com nossa saúde, tanto física quanto espiritual.

A vida e a saúde devem ser muito valorizados, pois são dons de Deus. Porém, Moisés em Salmos 90:10 ao falar da morte, coloca a vida como transição:

“Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos!” (NVI)

Em Mateus 6:27, Jesus questiona “quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?”. A morte, de fato, não tem como ser evitada. Então, por que se preocupar tanto?

A escritora destaca cinco pontos relativos a nossa saúde:

Ter uma boa saúde é natural e normal – Nosso Deus é grandioso e gracioso! Ele permite que a chuva caia sobre os justos e sobre os injustos (Mateus 5.45). A grande maioria das pessoas sobre a terra desfruta de saúde relativamente boa. Naturalmente ocorrem gripes, constipações intestinais ou distensões musculares… Mesmo em meio a um mundo amaldiçoado pelo pecado, Deus projetou nossos corpos para se sentirem bem e funcionarem sem dor. A humanidade tem permissão para desfrutar de sua graça no que se refere à saúde física.”

Não há garantias de uma vida livre de dores ou enfermidades – Quando o pecado entrou no mundo, trouxe dor, doença e morte… Jesus queria que seus seguidores, você e eu, soubéssemos dessa dura verdade. Ele mesmo afirmou sem rodeios: No mundo tereis aflições (João 16.33)… Deus nunca prometeu uma vida livre de doenças. Talvez seja por isso que o apóstolo Paulo nunca pediu que orassem por sua saúde. E ele tampouco orou pela saúde física de seus leitores, mas por sua saúde espiritual (Colossenses 1.9-11).”

A dor física não é necessariamente ruim – Tenho certeza de que você já ouviu falar, ou conhece alguém que foi ao médico devido a um determinado problema ou dor, e lhe foi dito que o fator de ter ido logo no início salvou-lhe a vida. Então, da próxima vez que tiver alguma dor, agradeça primeiramente a Deus pelo aviso. Em seguida, tome as medidas necessárias!”

A dor física é uma oportunidade para confiar em Deus – Nossa primeira reação é perguntar: – ‘Por que, Deus? Por que eu? O que eu fiz para merecer isso?’ Porém, o que deveríamos dizer é: – ‘Deus, o que o Senhor quer que eu aprenda com o que está acontecendo?’. O próprio apóstolo Paulo passou por uma situação dessas. Ele a chamou de seu “espinho na carne” e lutou muito com ele. Na verdade, orou por três vezes pedindo a Deus que o retirasse (2 Coríntios 12.7-8)! E qual foi a resposta de Deus? Ele garantiu a seu servo Paulo: a minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza (versículo 9). A dor e o sofrimento de Paulo continuaram, mas Deus lhe deu os recursos para lidar com eles. Sofrer como cristãos é sempre oportunidade de confiarmos em Deus e de lhe darmos glória.”

A saúde espiritual é mais importante do que a saúde física – Quando você se torna cristão, sua vida física assume um papel de coadjuvante, em comparação à sua vida espiritual. ‘Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo de sua glória, segundo o seu eficaz poder de até sujeitar a si todas as coisas’ (Filipenses 3.20-21). Deixe-me lembra-la novamente de que Paulo nunca pediu aos leitores de suas cartas que orassem por sua saúde enquanto ele estava na prisão. Quais foram, então, os pedidos de Paulo em seu favor?

Coração corajoso – Paulo queria pregar ousadamente, com a coragem que somente Deus pode dar (Efésios 6.19).

Portas abertas – Paulo precisava que as portas se abrissem para que ele pudesse pregar o evangelho (Colossenses 4.3).

Mensagem clara – Paulo desejava comunicar claramente a mensagem de Cristo, de forma que as pessoas a ouvissem e cressem (Colossenses 4.3).

E de que forma ele orava pelos leitores de suas cartas? Vejamos alguns, entre muitos de seus pedidos:

Sabedoria e conhecimento – Paulo desejava que seus leitores fossem cheios da sabedoria e conhecimento de Deus (Colossenses 1.9).

Uma caminhada digna – Paulo queria que os seguidores de Cristo “andassem dignamente diante do Senhor” (Colossenses 1.10).

Força interior – Paulo queria que os crentes fossem fortalecidos pelo poder do Espírito de Deus no homem interior (Efésios 3.16).”

Tenha em mente que sua vida é terrestre, mas que precisa sim se cuidar. Adote alguns hábitos no seu dia a dia:

1) Cuide de seu corpo;

2) Observe o que você come;

3) Vigie seu peso;

4) Exercite-se regularmente;

5) Faça exames médicos regulares;

6) Acompanhe os sinais de alerta;

7) Mantenha seu foco no céu;

8) Confie na providência de Deus;

Sabemos como um hábito desses leva aos outros, então não é tão difícil assim coloca-los em prática. Sei também o quanto é difícil praticar alguns desses hábitos, principalmente o 2 e o 3 para quem, como eu, adora uma Coca-Cola com Doritos, fazer um lanche no Mc Donald’s, sorvetes, chocolates, uma porção de fritas cheia de maionese, e de fato não vejo problema algum em comer essas coisas, porém precisamos nos disciplinar com a quantidade e a frequência de que comemos.

“A preocupação afeta a circulação, o coração, as glândulas, e todo o sistema nervoso. Nunca ouvi falar de que algum homem tivesse morrido por excesso de trabalho, mas conheci muitos que morreram de dúvida” – Charles Mayo, fundador e doutor da Clínica Mayo.

Não se preocupe, cuide-se.

Lembre-se:

“Todo o amanhã tem duas alças. Nós podemos segurá-lo pela alça da ansiedade, ou pela alça da fé.” Henry Ward Beecher.


Essa série de posts é um resumo do livro Preocupação, de Elizabeth George, publicado pela editora Hagnos. Cada post resume um capítulo e você pode adquirir o livro para conferir os assuntos com maiores detalhes clicando na referência abaixo.

Referência: GEORGE, Elizabeth. Preocupação – um hábito que pode ser quebrado [tradução Iara Vasconcellos]. São Paulo: Hagnos, 2011.

Sobre Paloma Pena

Teimosa, intensa, super protetora, eterna criança, aprendiz de engraçada.