O que fazer em tempos de crise?

Postado por em jun 1, 2016 em Blog | Sem Comentários

O que fazer em tempos de crise?

Você pode decidir se terá um tempo de luto. Também pode decidir se vai simplesmente ignorar o que te aconteceu.
Mas tem algo que você não pode fazer: esquecer que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer.

Você pode decidir ficar em silêncio. Também pode decidir compartilhar sua dor com quantas pessoas for necessário.
Mas tem algo que você não pode fazer: esconder seus pensamentos do seu Criador.

Você pode decidir mudar de casa. Também pode decidir mudar de país.
Mas tem algo que você não pode fazer: impedir que a lei da semeadura se cumpra em toda a sua história.

Você pode escolher chorar. Também pode escolher sorrir para as dificuldades e mandá-las procurar outro para encher o saco.
Mas tem algo que você não pode fazer: impedir que seu coração se machuque às vezes.

Você pode manter seu foco no problema. E também pode decidir manter seus esforços em resolvê-lo.
Mas tem algo que você não pode fazer: esquecer que a vida não é uma escada rolante. É apenas uma escada. Quem sobe é você!

Você pode decidir ser feliz a qualquer custo. Também pode decidir que está tudo bem se ficar triste alguns dias.
Mas uma coisa você não pode fazer: acreditar que todo mundo é feliz apenas se baseando no perfil do Facebook delas. Redes sociais maquiam realidades.

Você pode decidir olhar para todos os “mas” que estão nesse texto. “Mas”, repare que eles são muito menores do que os “E”. Deus nos presenteia com muito mais possibilidades do que negações. Ele é o SIM e o AMÉM, ainda que só consigamos enxergar os “mas” da nossa história.

Na dúvida, escolha a Ele.

E em tempos de crise,
Crie!

Sobre Andressa Rosa

Se fosse definir uma menina cheia de sonhos, louca por Jesus e pelo poder que está no nome dEle... Se fosse definir a filha, a estudante de comunicação social, a atriz de alma e formação, que tem seu casamento planejado desde os 7 anos de idade... Se fosse definir o mundo dos "talvez" e das certezas, uma pequena biografia não seria o bastante. Então me chame de Dede. E vem conversar comigo!