O maior milagre dos séculos

Postado por em mar 26, 2014 em Blog | Sem Comentários

O maior milagre dos séculos

Milagre é um gênero menos comum da atividade divina, pela qual Deus desperta a admiração e o espanto das pessoas, dando testemunho de Si mesmo. É também obra de Deus, onde Ele realiza para glorificar a si mesmo e para fortalecer a nossa fé.

As escrituras não fazem tentativas em “provar” que Jesus levantou dos mortos, mas apesar disso, apresenta provas conclusivas de que Ele de fato ressuscitou. A ressurreição de Cristo é registrada em Mateus 28:1-20; Marcos 16:1-20; Lucas 24:1-53 e João 20:1-21:25. O Cristo ressurreto também apareceu no Livro de Atos (Atos 1:1-11). A partir destas passagens temos várias “provas” da ressurreição de Cristo. Observe a dramática transformação pela qual passaram os discípulos: de homens amedrontados, que procuravam esconderijos em um quarto, a homens corajosos, compartilhando o Evangelho através do mundo. O que mais poderia explicar tão dramática transformação a não ser o Cristo ressurreto aparecendo a eles? Observa-se a vida do Apóstolo Paulo, o que o transformou de perseguidor da igreja a um apóstolo pela igreja? Foi quando o Cristo ressurreto a ele apareceu na estrada de Damasco (Atos 9:1-6).

A passagem-chave a respeito da ressurreição de Cristo é 1 Coríntios 15. Neste capítulo, o Apóstolo Paulo explica por que é crucial compreender e crer na ressurreição de Cristo. Dois pontos que são bem destacados neste capítulo são:

Maior milagre foi à ressurreição. É o fundamento da nossa fé:

  • Se Cristo não ressuscitou, nossa pregação é vã v. 14
  • Ainda permanecemos em nossos pecados v. 17
  • Os que descansam no Senhor perecem sem esperança. v. 18
  • Somos os mais infelizes de todos os homens. v. 19

Porque temos a certeza de sua ressurreição:
Paulo fala das provas da ressurreição v. 4-8

  • Apareceu a Pedro e aos 12
  • Foi visto por mais de 500 irmãos
  • Apareceu a Tiago
  • Por último apareceu a Paulo

Os homens que acreditaram na ressurreição de Jesus dos mortos, conhecidos hoje como os Discípulos de Jesus, certamente concordariam que suas convicções e testemunhos foram testados por aqueles que não acreditavam. Com a exceção de João, todos esses homens foram colocados à morte. Essas mortes foram tão excruciantes e violentas quanto suas vidas, pois esses homens foram perseguidos pelo mundo secular e sofreram grandes provações por proclamar o Evangelho.

Paulo descreve em sua segunda carta aos Coríntios: “dos judeus cinco vezes recebi quarenta açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha raça, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejuns muitas vezes, em frio e nudez” (2 Coríntios 11:24-27 NVI). Paulo foi decapitado depois de sofrer em um calabouço romano por muitos anos. Sua morte foi bem menos brutal do que as dos seus companheiros, pois ele era um cidadão romano e eles não. Esses homens acreditaram que o Senhor permitiu que sofressem grandemente por um motivo, já que não há melhor evidência de sua sinceridade e da veracidade de sua mensagem do que sua tolerância e perseverança sem qualquer esperança de uma recompensa terrena. Eles poderiam ter escapado tal tortura e humilhação se tivessem renunciado à Ressurreição de Cristo. Esse era o objetivo dos que os tormentavam. No entanto, nenhum deles cedeu aos seus perseguidores.

Os homens que testemunharam a ressurreição de Jesus fizeram isso com suas vidas. Seus testemunhos, além da evidência bastante convincente apresentada pela Bíblia (como as profecias), inspiraram milhões a seguirem seus passos sofrendo perseguição e morte nas mãos de um mundo descrente pelo conhecimento de que Jesus Cristo é o Filho do Deus Poderoso. Pelo conhecimento de que a Bíblia já predizia que Jesus viria à terra para morrer pelos nossos pecados centenas de anos antes do Seu nascimento milagroso. De que Ele morreu na cruz e ressuscitou. De que Ele se apresentou a centenas de discípulos antes de ascender aos céus. De que Ele retornará novamente no fim dos tempos. Esses homens não proclamaram o seu amado Evangelho com palavras apenas. Eles usaram suas próprias vidas para transmitir essa mensagem. Isso, juntamente com a profecia detalhada e evidência convincente do túmulo vazio, adicionam provas nas suas afirmações. Portanto, toda a humanidade tem a oportunidade de aceitar ou rejeitar a Ressurreição baseada em suas próprias convicções. Não é por uma falta de testemunhas do evento, nem por falta de evidência.

Ele não está aqui, mas ressuscitou” (Lucas 24:6). Jesus ressuscitou! Essa palavra ressoa poderosamente atravessando os séculos. Ela pode ter sido a palavra mais poderosa que já foi pronunciada. Entre todas as grandes proclamações da História, nenhuma se compara em grandeza de significação a esta simples afirmação. Esta declaração levou o espanto e a alegria aos seguidores de Jesus. Ela se tornou o assunto central da pregação apostólica. De fato, cada ponto da Bíblia gira em volta desta ressurreição vitoriosa de Jesus Cristo. Jesus ressuscitou!

Por causa da ressurreição de Jesus, podemos ter fé, esperança e salvação do pecado. Porque Jesus conquistou a morte, podemos aguardar uma vitória eterna sobre a prisão da cova (1 Coríntios 15). Com este milagre Deus oferece a maior prova da Sua existência, de Seu poder, de Sua pureza e de Seu amor. Tudo o que é bom em Deus é resumido na força desta declaração: Jesus ressuscitou! Todas as nossas esperanças na eternidade estão contidas nesta simples expressão de triunfo.

Agradeçamos a Deus pelo fato maravilhoso que é a ressurreição de Jesus. Tomemos a resolução de viver cada dia como seguidores vitoriosos de nosso triunfante Senhor, de maneira que possamos elevar-nos para estar com Ele na Eternidade.

Que estas palavras soem claramente em nossos ouvidos: Jesus ressuscitou!

OBS: Galerinha, só para avisar que os próximos textos poderão demorar, pois por motivos pessoais não estarei mais cumprindo com a periodicidade.

PS: I love you and Christ too!
Rafaela Zimieski

Sobre Rafaela Zimieski

Uma criança humorada, uma menina amada e uma mulher demasiadamente apaixonada por Cristo.