O limite da tecnologia

Postado por em abr 14, 2014 em Blog | 5 Comentários

O limite da tecnologia

Hoje eu resolvi falar sobre algo que vem me incomodando na sociedade num geral, certamente vocês se perguntarão o que isso tem de ligação com o projeto PADD ou com o nosso meio cristão mas eu explicarei.

Quanto tempo passa conectado? A vida tem passado e não temos percebido. Espero que possam refletir com o vídeo a seguir:

Eu sempre fui uma pessoa ligada à tecnologia, mas de um tempo pra cá eu comecei a notar quanta importância eu e as outras pessoas dávamos a ela. Em 2013 realizei uma pesquisa para a faculdade onde o foco foi analisar o uso da internet na vida das pessoas, o resultado me deixou surpresa porque descobri que existem dezenas de jovens, como eu, que englobam a internet a qualquer coisa que esteja fazendo. Considerando que vivemos uma vida bem agitada e dormimos 6 horas por dia, usamos umas 3 horas do dia para cuidados diários (como banho e refeições), a maioria dos jovens estuda (em média 3 horas por dia) e trabalha (média de 8 horas) e que tiramos 1 hora do dia para alimentar nossa espiritualidade, provavelmente ninguém mora, estuda e trabalha no mesmo lugar então gasta 1 hora em idas e vindas, sobram 2 horas do nosso dia para estarmos conectados e em comunhão com alguém. O mais confuso é que menos de 25% das pessoas que responderam a enquete ficam até 2 horas conectados.

Quantas vezes convivemos com pessoas que só precisam que a gente pergunte se está tudo bem, que demonstremos o amor por elas, 10 minutos de atenção, mas estamos mergulhados nos smartphones e não olhamos para o lado. Assistindo ao vídeo hoje me identifico com a moça alienada, mas parei para reflexão de quantas vezes eu estive do outro lado, me preocupando mais com as atualizações das rede sociais do que com as pessoas que estavam do meu lado. Para mim, chega de relacionamentos superficiais. Eu já pensei algumas vezes em excluir minhas contas e aplicativos do Facebook, Twitter, Instagram, Whatsapp e tudo mais que afaste as pessoas da minha vida, mas obviamente isso não é necessário. Tudo usado com equilíbrio faz bem. Uso essas redes sociais pra conversar com pessoas que não vejo no dia a dia então elas me são úteis quando usadas moderadamente. Quando eu estou com alguém eu procuro deixar meu celular com a internet desativada e no silencioso.

O nosso maior exemplo de relacionamentos foi o que Cristo nos deixou e ele não tinha esses acessórios. Cristo doava-se ao que estava no momento, as pessoas que estavam ali caminhando com Ele. Nós, como cristãos, devemos ser os primeiros a buscar intimidade com as pessoas e não resumir relacionamentos a check-ins nas redes sociais.

Quantas chances de falarmos do amor de Cristo para as pessoas perdemos utilizando as tecnologias de maneira errada e descontrolada? Eu realmente acho que se essas ferramentas foram criadas devem sim ser usadas, mas é necessário um limite e uma autovalorização de quem usa, não permitindo que a tecnologia dite o ritmo da sua vida. Permita desligar-se da rede e ligar-se nas pessoas que estão lá fora esperando ser acolhidas por alguém, seja você o acolhedor!

As tecnologias vieram para facilitar a vida das pessoas, não para isolá-las.

Tire os olhos do seu celular e olhe para os olhos das pessoas ao redor!

Sobre Paloma Pena

Teimosa, intensa, super protetora, eterna criança, aprendiz de engraçada.

  • leocechet

    Bom assunto, Paloma! Eu acho que, como tu disse, não é preciso deletar. Mas, às vezes, é a única forma. Lembra que Jesus disse “Se teu olho te faz tropeçar, arranca-o”. Vamos arrancar as coisas. Se elas são difíceis de arrancar, é o justo motivo pelo qual deve ser arrancada.

    • Paloma Pena

      Muito bem observado Leo, acabamos permitindo que essas coisas que não queremos largar tomem um lugar muito grande em nossas vidas.

  • Jairo Arruda

    Realmente é um assunto muito importante e que devemos estar com nossos olhos e nossa vida atentos para o que estamos usufruindo. As mídias sociais realmente são fantásticas mas conseguirmos ter esse equilíbrio é muitas vezes muito difícil.
    A um tempo comecei a refletir sobre isso e também passei por uma reestruração, talvez perdi algumas horas deletando usuários, repensando a necessidade de postar algo, até onde vai a necessidade de publicar algo e viver esperando o comentário ou até mesmo roubartilhar.
    Muitas vezes sonhamos a popularidade e esquecemos que o quanto isso acrescentará de significancia para a nossa vida eterna.

    Até mesmo a Coca-cola através da propaganda promove acabar com a dependência dos smartphones, mas será que precisamos estar sendo comparados aos animais como é feito na propaganda para conseguirmos prestar a atenção realmente ao que está acontecendo ao nosso redor?

    • Paloma Pena

      Jairowiskis, esse é o vídeo que melhor ilustra a nossa robotização, triste realidade. Basta pararmos 2 minutos em algum lugar público que vemos os smartphones tomando o lugar das conversas e da intimidade.

  • Pingback: Pelo Amor de Deus » Larga um pouco!()