Julgar ≠ Demonstrar amor

Postado por em maio 21, 2014 em Blog | 2 Comentários

Julgar ≠ Demonstrar amor

É extremamente corriqueiro hoje, encontrarmos diversos tipos de ações de terceiros conosco. Algumas suprem integralmente a necessidade do que temos que ver e/ou ouvir. Outras, vem como fator desnecessário. Nesse aspecto, podemos citar a questão do julgamento.


Todos nós praticamos o ato (consciente ou inconscientemente). Buscando algo na bíblia para exemplificar o que eu me propus a escrever hoje sem dar “muitos rodeios”, encontrei a seguinte passagem:

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. “Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.” – Mateus 7:1-5 (NVI)

Mas então, como podemos “repreender” um irmão quando ele não age corretamente? Ou, como podemos explanar nossa opinião para alguém e isso não soe um julgamento? Para essa resposta, poderia transcrever da minha própria vida dezenas de situações as quais acontecem e que pessoas próximas conseguem facilmente demonstrar esse amor sem um resquício sequer de julgamento.

Certo dia, escutei algo diante de um julgamento precipitado da minha parte. Uma amiga muito próxima me disse o seguinte: “Laís, eu não sou/vou contra o teu julgamento. Contanto que tu sejas exemplo em todos as áreas da tua vida para fazê-lo”. Fiquei totalmente sem reação ao escutar aquilo, pois, obviamente não sou exemplo em tudo. Sendo assim, por natureza não tenho esse direito de julgar.

Então, refletindo sobre esse assunto é possível chegar a uma breve conclusão: Julgar é infinitamente diferente de demonstrar amor. Você demonstra amor de diversas maneiras (não me detendo muito sobre). Julgando, você somente aponta (diretamente ou “pelas costas”) algo que você faz igualmente ou até mesmo pior.

Sobre Laís Spagnollo

Numa busca constante por Ele!

  • Jairo Arruda

    Muito bom Laís. Sucinto e com profundeza nas palavras, continue assim nessa busca e aperfeiçoando nEle! Abração

  • Paloma Pena

    Lalalaís, texto muito claro e direto. Precisamos urgentemente largar o habito de apontar erros e sim de demonstrarmos, como filhos de Cristo, que todos temos pecados e que mesmo assim Cristo e nós amamos as pessoas de verdade.