Em quem eu acredito?

Postado por em abr 23, 2015 em Blog | 5 Comentários

Em quem eu acredito?

“Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim.” – João 14:1 (NVI, grifo meu)

Estive muito perturbado já nessa vida. Não foram poucas as vezes em que eu me perturbei e permiti que meu coração estivesse completamente conturbado. Nada fora do comum, certo? Todos temos nossos dias, nossas ansiedades e nervosismos. Eu tenho, porém, um problema bem sério que continua me incomodando. É algo que, infelizmente, carrego desde os meus tempos de recém convertido. Ligo a televisão, passo os canais, escuto um pouco de cada e indago: “Ora, qual desses pregadores está correto? Em qual devo confiar?”

Há uma infinidade de interpretações e visões diferentes: curas, batismos com Espírito Santo, guarda do sábado, campanhas, carnê da prosperidade, pedido de oração, toalha ungida e por aí vai. Quando eu troco o canal, um está contradizendo o outro e, para dificultar ainda mais minhas faculdades mentais, “baseando-se na Palavra de Deus”. Eu fico confuso! Ora, por um lado é necessário dar 20% do salário – na certeza de que Deus vai restituir em dobro – e, por outro, temos que dar conforme nosso coração ordena. Um deles me mostra os milagres da Bíblia, outro me diz que Deus está mais preocupado com a nossa salvação. Espera aí, acho que estou mais confuso ainda!

Escolhi uma imagem para esse post que contivesse alguns figurões da religião evangélica no mundo todo. Há pelo menos quatro diferentes doutrinas nessa imagem. E que senhora confusão que eles causam na minha cabeça. Um é neo-pentecostal, pregador da teologia da prosperidade, outro é reformado, defensor da predestinação. Alguém me pergunta: em quem você acredita?

Faz um bom tempo já, decidi mudar minha visão. Parei de permitir que meu coração se perturbasse com líderes evangélicos que divergem e comecei a ler a Palavra por minha conta. Por que raios minha interpretação é pior que a deles? Tenho recursos, informação à vontade na Internet, livros e inteligência: posso me virar. Decidi não menosprezar seus ensinos, mas julgar cada palavra de acordo com a Palavra de Deus. E tem funcionado.

Jesus me ensinou, na passagem acima e em inúmeras outras, que preciso crer nEle. Não importa se eu creio no Calvinismo ou no Arminianismo. Não faz mal se eu desligar a TV enquanto aquele pregador estiver ali. Não tem problema se eu decidir ouvir as palavras do jovem evangelista e julgá-las de acordo com a Palavra. Eu preciso crer em Cristo! Na Sua salvação, no perdão, na misericórdia e na justiça. Crer que Ele ressuscitou dos mortos para me salvar!

Essa confusão é muito comum. Muitos Cristãos se entristecem com as divergências, com as enganações e com as inverdades. É difícil entender como pode haver curas milagrosas em uma igreja que claramente pregue um evangelho distorcido. De igual forma, é estranho não ver os milagres de Cristo em igrejas que parecem pregar o evangelho genuíno. Não compreendemos todas as coisas. Mas, lembremo-nos de olhar para Jesus, apenas para Ele. Precisamos, sim, dar ouvidos aos nossos líderes e honrá-los. Contudo, que saibamos que a nossa esperança e fé deve estar apenas nEle, sem hesitação. Em quem eu acredito? Em Jesus, o Filho de Deus, o Cordeiro Santo que foi dado por propiciação ao mundo.