Efeito Borboleta

Postado por em jul 18, 2016 em Blog | Sem Comentários

Efeito Borboleta

De acordo com a teoria difundida pelo cientista Edward Lorenz, denominada de “efeito borboleta”, o simples bater de asas de uma borboleta poderia acarretar um furacão do outro lado do mundo. Metáforas a parte, é visível que uma pequena ação pode gerar uma consequência colossal.

Jesus foi o homem que colocou essa teoria em prática antes mesmo de ela ter sido descoberta, tendo em conta que ela foi apresentada somente no século XVIII. Isso pode ser verificado pelas inúmeras vezes que Deus gerou um tsunami, por intermédio de algo tão singelo:

Com 5 pães e 2 peixes Ele alimentou 5.000 pessoas. (João 6.5-13)
Endureceu o coração de Faraó, com o propósito de fazer com que os hebreus fossem libertos da escravidão. (Êxodo 9:12)
Permitiu que Paulo e Silas permanecessem na prisão, a fim de levar o evangelho para outras nações. (Atos 16:25-26)
Colocou Ester, uma judia comum, na corte real para salvar um povo. (Ester 8:5)
Permitiu que a cegueira acometa Saulo, para que o mesmo se converta. (Atos 9:8-9)

Um momento mais importante ainda, foi quando Jesus Cristo fez algo que para muitos é considerado o ato mais excepcional e amoroso que alguém poderia ter feito: Jesus morreu na cruz do Calvário. Ele fez isso:

Para que nós fossemos salvos “Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João 3:17);
Para que nós nos reconciliássemos com Deus Pai “Para o aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo” (Efésios 4:12);
Para que nossas enfermidades fossem consumadas “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido” (Isaías 53:4);
Para nos dar vida “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados” (Efésios 2:1);
Para que vivêssemos para Ele “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gálatas 2:19,20).

Então, podemos concluir que um Deus tão grande como o nosso se apodera de pessoas pequenas e frágeis, e nos transforma em Seus templos. Ele nos capacita, Ele nos dá vida nova, Ele nos proporciona força e amor. Deus agarra a borboleta existente em nós, e a transforma em um tsunami que exala o perfume de Cristo.

Sobre Louise Sebben

Enamorada de risadas, de brincadeiras, de línguas estrangeiras, de viagens sem rumo e principalmente de açaí, de alfajor e de um bom chimarrão. Jesus é minha canção, o amor é meu instrumento, a bíblia é minha partitura e o céu é minha pista de dança.