A supremacia divina e a insuficiência humana

Postado por em nov 2, 2016 em Blog | Sem Comentários

A supremacia divina e a insuficiência humana

Roger Wanke enuncia que: “Abraão foi considerado o pai da fé; entretanto, ele duvidava constantemente.”

Num primeiro instante, pode-se observar que Deus não está à procura de pessoas perfeitas para servi-lo. Ao invés disso, ele chama pessoas dispostas; pessoas que, mesmo pecando e mesmo tendo medos e dificuldades, confiem nEle, amem a Ele acima de tudo e estejam determinadas para cumprir a boa e perfeita vontade do Pai. Vale lembrar que Abraão não era um ser dotado de superpoderes, mas era um homem comum, que evidentemente servia a um Deus fora do comum.

Em seguida, vemos que tendo Sara e Abraão duvidado da promessa do filho esperado, Deus os questiona “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gênesis 18:14).

Eis aqui um aspecto fascinante revelado: certamente, Deus é imensurável em poder e em glória; porém, como sabemos, nós humanos fomos programados para sermos limitados. Desse modo, fica claro que Deus planejou essa circunstância com tamanha perfeição, que ao restringir nosso poder, Ele evidencia o quanto necessitamos dEle e o quão grande e o quão maravilhoso Ele é. Como está escrito:

“Não há absolutamente ninguém comparável a ti, ó Senhor; tu és grande, e grande é o poder do teu nome.” – Jeremias 10:6 (NVI)

Nessa mesma linha de pensamento, o teólogo Jonas Madureira diz que a insuficiência do ser humano marca a beleza da criação de Deus, portanto não deve ser considerada algo negativo, pois ela evidencia a origem da nossa dependência em relação a Deus. Repare que algo insuficiente é algo que por si só não subsiste. Ele depende de Deus para surgir, existir e persistir.

Sendo assim, não coloque expectativas sobre a tua força, e não se frustre com planejamentos fúteis. Coloque o foco no Senhor e permita que Ele te inunde de graça e do amor interminável do Calvário, para que você vivencie “(…) a verdadeira paz que excede todo o entendimento.” (Filipenses 4:7).

Sobre Louise Sebben

Enamorada de risadas, de brincadeiras, de línguas estrangeiras, de viagens sem rumo e principalmente de açaí, de alfajor e de um bom chimarrão. Jesus é minha canção, o amor é meu instrumento, a bíblia é minha partitura e o céu é minha pista de dança.