A formiga aprendiz

Postado por em dez 30, 2014 em Blog | Sem Comentários

A formiga aprendiz

Era um pasto enorme.

Verdejante, incrivelmente grande para mim.

A pequena formiga aprendiz, que não sabia por onde começar.

– Precisamos de comida para o inverno, marchem! – dizia a formiga que liderava a fila.

Foi quando comecei a observar minhas colegas.

Uma a uma, as formigas caminhavam em direção ao formigueiro com as colheitas que alcançaram: algumas levavam folhas pequenas, outras grandes e vistosas, pareciam apetitosas se vistas de cima. E haviam aquelas que traziam folhas secas, pedrinhas e sujeiras.

Sem entender e curiosa, ansiava por respostas sobre a colheita. Não aguentei e parei uma formiga da fila, que carregava uma grande folha nova e verdinha:

– Por que algumas das nossas carregam pedregulhos?

– Porque cada um só pode oferecer aquilo que tem, querida. É você quem decide o que levar ao nosso formigueiro. – respondeu a formiguinha tão cansada pela caminhada.

– Uau! Mas você parece tão cansada… Essa folha deve ser pesada!

– E como é! Mas te digo que hoje vai valer a pena. Todos nós teremos o que comer se depender de mim. O melhor que posso oferecer com meu suor é isso: mesmo que a caminhada doa, eu só consigo manter meus olhos no final. Se nosso Criador tivesse criado as formigas para pegar lixo, nós pegaríamos lixo. Mas Ele nos fez para colher o melhor da terra. E é isso que eu quero fazer.

Naquele momento entendi que meu Criador estava feliz com a colheita daquela formiguinha, e meu desejo foi que também estivesse comigo. Sem duvidar, peguei a melhor folha que achei e corri em direção ao formigueiro.

– Só posso dar o que tenho, só posso dar o que tenho, só posso dar o que tenho… – repetia sem parar.

E valeu a pena.


Esse é meu último conto de 2014, queridos. É com muita fé que te escrevo hoje, porque Deus fala conosco através de Sua Criação. Tão bela e rica, aprendi com as formigas que Ele me fez capaz de obras maravilhosas, e em 2014 vi muitos ao meu redor com o coração como pedra, sujos e secos como as folhas que já não vivem mais.

Por isso decido em 2015 que meu coração estará cheio dEle e entregue a essa caminhada longa e linda!

No nosso formigueiro celestial, teremos a certeza de que cada gota de suor valeu a pena. E enquanto estiver aqui, vou dar tudo de mim para que meus irmãos deixem suas pedras e folhas secas para alcançar o melhor dessa terra.

Vamos juntos?

Até a primeira terça-feira de 2015!

Com amor e gratidão por você que me leu,

Dede

Sobre Andressa Rosa

Se fosse definir uma menina cheia de sonhos, louca por Jesus e pelo poder que está no nome dEle... Se fosse definir a filha, a estudante de comunicação social, a atriz de alma e formação, que tem seu casamento planejado desde os 7 anos de idade... Se fosse definir o mundo dos "talvez" e das certezas, uma pequena biografia não seria o bastante. Então me chame de Dede. E vem conversar comigo!